A Perfumaria

A PERFUMARIA

Mesmo sendo impossível datar o nascimento da perfumaria, os primeiros relatos dessa sofisticada arte foram encontrados no antigo Egito, foi lá que nasceu um dos mais antigos e famosos perfumes do mundo, o kyphi, usado tanto de forma medicinal, quanto terapêutica e aromacológica. Na idade média, o perfume se mostra como algo ligado à atração e relacionado com uma função estética, passando a ser um objeto cultural que reflete os valores da época em que foi produzido. Em 1370, surge o primeiro grande perfume alcoólico, à base de flores de alecrim, a Água da Rainha da Hungria, um dos clássicos da perfumaria e conhecido mundialmente.

Na França, durante o renascimento, o perfume se propaga e seu estudo evolui graças à união de Catarina de Médicis com Henrique II. Catarina traz da Itália a moda do perfume e seu perfumista renomado: René le Florentin. A partir daí a França passa a ter acesso aos conhecimentos e técnicas orientais relacionados ao perfume. No final do século XIX e começo do século XX, a perfumaria sintética abre as portas para um novo mercado e populariza o perfume. Isso ocorreu devido ao avanço do estudo de química e também em decorrência do alto valor dos produtos naturais.

O Brasil hoje ocupa o primeiro lugar no consumo de perfumes. Entretanto, pouco se sabe sobre sua história e cultura. Nosso objetivo é resgatar a arte da perfumaria a partir de uma perspectiva na qual possamos conhecer e reconhecer a nossa própria história.